Últimas Postagens

Army of Two The 40th Day

Capa xBox360 Army of Two The 40th Day

Sinopse:
Apesar de dividir os comentários da crítica especializada, “Army of Two” foi um sucesso de vendas em 2008, vendendo mais de 2 milhões de cópias. Foi o sinal verde para a produção de uma continuação, que como o original, ficou sob a responsabilidade da EA Montreal, intitulada “Army of Two: The 40th Day”, que mantém os mercenários Salem e Rios sob os holofotes.
Agora, em vez de percorrer o mundo, a dupla deve permanecer em local específico, no caso, a cidade de Xangai, que está sofrendo com uma série de desastres de origem misteriosa como colisões de aviões e desmoronamentos de edifícios. É um cenário desolador de caos e destruição – inspirado pelo filme “Cloverfield” – que desafia os dois soldados a trabalhar em equipe de melhor forma para descobrir os reais motivos por trás de tamanhas tragédias.
O time da EA Montreal prestou muita atenção nos comentários sobre o jogo anterior e resolveu investir pesado na reformulação dos controles e na inteligência artificial dos protagonistas. Uma das melhorias presentes está no sistema de cobertura, que agora é automático e é acionado assim que um herói se encontrar abaixado próximo a paredes ou outras superfícies planas. Um movimento de corrida no melhor estilo “Gears of War” também foi adicionado, com uma câmera que se posiciona sobre as costas do personagem até seu destino – e caso este seja uma parede, a cobertura automática já é acionada. Um GPS entra em cena para dar apoio, capaz de localizar inimigos atrás até mesmo de veículos ou paredes.
O trabalho em equipe da dupla também foi mais valorizado, com uma inteligência artificial aperfeiçoada no modo para um jogador. Em vez de servir apenas como apoio em tiroteios ou para alcançar locais de difícil acesso, o parceiro agora ganha mais importância quando os caminhos se dividem e trabalho conjunto mais complexo é requisitado. Um bom exemplo é o trecho em que os dois precisam executar um tiro de longa distância para impedir que um bandido mate um refém e só um deles está a uma distância segura para executar o disparo – cabe ao outro, então, se mover para outro ângulo e informar, via rádio, quais possíveis imprevistos podem afetar o a trajetória.
Novas táticas foram incluídas como, entre outras coisas, fingir rendição a um inimigo enquanto seu parceiro o acerta de longe. Tais manobras agora levam em conta que tiros podem atravessar os corpos dos personagens, o que causa uma mudança no tratamento dos reféns ao longo da ação: é possível mirar, por exemplo, no ombro de um civil com o intuito de atingir um oponente que se encontre logo atrás. Caso deseje, também é possível ignorar o salvamento de inocentes e matar todo mundo pela fase – ainda que uma atitude mais pacifista, inclusive ao atordoar e amarrar os bandidos em vez de abatê-los, garanta recompensas diferenciadas.
Ainda atuando por trás de máscaras assustadoras, Salem e Rios surgem mais entrosados nesta segunda aventura. A EA Montreal percebeu que os mocinhos precisavam de uma melhor química e suas personalidades agora ganham mais profundidade, com diálogos mais naturais que causam maior empatia junto ao público. Isso quer dizer que boa parte das piadinhas infames da dupla foi limada, dando lugar a comentários um pouco mais elaborados, mais próximos do clima de um grande filme de ação de Hollywood, e não de uma comédia juvenil.

Posted by AnjoCRA
Propaganda